Tag: advice

Chegamos a um dos momentos mais esperados do ano! Junho é o mês oficial das Festas Juninas e se você quer organizar a sua mas acha que irá gastar muito, temos uma ótima notícia! Separamos os 5 passos para organizar uma festa junina econômica e perfeita. Garantimos que, mesmo sem gastar muito, você conseguirá arrumar a decoração, brindes e todo o material impresso necessário. Confira!

1) Defina o valor disponível para gastar

O primeiro passo para organizar uma festa junina pode parecer óbvio, mas é muito importante que o orçamento seja definido desde o comecinho para que os gastos não saiam do planejado. Defina o máximo a ser gasto e aí separe quanto será destinado à locação de espaço, decoração, brindes, materiais impressos e comidas. Assim, você terá sempre em mente quanto gastou e o que sobrou para continuar as compras.

2) Defina local, data e horário

Sabendo o orçamento disponível, é hora de encontrar o local da sua festa junina. O primeiro passo é entender o número de convidados para que o espaço escolhido tenha a estrutura necessária. É indispensável também colocar nessa análise as barraquinhas que terão na festa e espaço de brincadeiras (como pescaria, tiro ao alvo, bingo e outros). Depois de escolher o local, escolha a data e o horário para comunicar aos convidados.

3) Crie uma lista de convidados e métodos de identificação

A lista de convidados é muito importante e também ajuda a entender quanto será gasto em comes e bebes, por exemplo. Crie a sua e faça um convite bem chamativo para os convidados. Se você não quer investir no convite físico, vale apostar nas versões digitais que são mais econômicas e bem aceitas. Envie por Whatsapp ou crie um evento no Facebook! Para identificar os seus convidados, utilize as pulseiras de identificação ou faça uma lista de presença na entrada da festa.

4) Faça listas de compras

Organizar uma festa junina econômica e perfeita não é uma tarefa fácil. Por isso, utilize as listas de compras para que tudo seja comprado e dê check no que já está feito. O ideal é separar por categorias como no planejamento de gastos.

5) Aposte na decoração temática

A decoração é um dos 5 passos para organizar uma festa junina econômica e perfeita mais importantes. Além das comidas características da época, a decoração é que vai dar o clima da festa que todo mundo tanto adora. Use bandeirolas, cartazes e balões personalizados com o tema junino para decorar o ambiente de forma simples e eficaz. Faça barraquinhas pois são temáticas e ajudam os convidados a terem acesso a comida de um jeito simples.

O processo de laminação consiste em pegar qualquer material impresso, seja ele nos mais variados tipos de papéis como: duplex, couchê, reciclado, triplex ou qualquer outro, no qual ele vai receber uma camada de revestimento de plástico bem fino.

A aplicação da laminação pode ser feita em três processos diferentes: laminação a frio, laminação quente e aplicação líquida.

Quais os tipos de acabamentos em laminação?

Laminação Fosca

A laminação fosca é talvez a mais usada entre todos os tipos existentes, pois possui um acabamento elegante, discreto e além de tudo resistente.

Esse tipo de laminação reduz o risco de aparecer manchas de gordura e/ou digitais quando for tocado.

Além disso, a laminação fosca possui maior resistência contra dobras e possíveis amassados fazendo com que a sua peça dure mais, e não é só isso!

Esse tipo de laminação proporciona um toque suave e macio, fazendo com que seja agradável de se pegar.

Laminação Brilho

A laminação brilho, por sua vez, possui um acabamento onde as cores utilizadas na impressão ficam mais vivas, mostrando uma riqueza de detalhes e nitidez.

Além disso, a laminação brilho é mais aderente ao toque, por ser brilhosa e não possuir uma textura mais lisa, ela tem a capacidade de aderir melhor ao toque.

Mas por outro lado esse tipo de laminação pode deixar com mais  facilidade manchas e marcas de digital no material.

O programa CorelDRAW é o aplicativo pioneiro em diagramação de páginas e edição vetorial. Foi lançado em 1989 com o objetivo de reunir imagens, vetores e textos coloridos dentro de um mesmo arquivo.

Dois anos mais tarde, com o lançamento da versão 3, em 1991, trouxe a primeira suíte de edição gráfica da história, que combinava ilustração vetorial, layout de página, edição de fotos e muito mais em um único pacote.

confira abaixo o nosso infográfico e salve nos seus favoritos.

É possível aplicar o uso do CorelDRAW para arquivos para impressão profissional, impressão digital entre outros, dada a sua ampla gama de recursos de imposição de páginas, impressão mesclada, possibilidade de implementação de gerenciamento de cores profissional e sua alta capacidade em fechamento de arquivos e arte final.

Pensando em facilitar, mais uma vez, o dia a dia dos nossos parceiros resolvemos criar um infográfico com os principais atalhos da ferramenta CorelDraw.

Disponível apenas para o sistema operacional Microsoft Windows, o infográfico traz funções como exportar, copiar, agrupar, abrir arquivo, salvar, entre outras.

A classificação de fontes é um verdadeiro desafio e são muitos os critérios envolvidos pelos interessados no assunto, cada critério com suas próprias definições históricas e técnicas. Algumas classificações incluem Old Style, Gótico ou Humanista.

Para simplificar aqui, vamos focar em 4 categorias básicas que serão úteis para entender melhor do assunto e te deixar mais seguro para escolher fontes para projetos, e discutir suas escolhas com outras pessoas.

Serifadas: Fontes serifadas apresentam pequenos traços ou prolongamentos no final de suas letras. Elas geralmente representam os conceitos de seriedade e tradicionalidade.

Sem serifa (sans-serif): Estas fontes não têm as linhas extras no final das letras. Por esse motivo, são geralmente consideradas mais modernas e dinâmicas.

As serifas são comumente consideradas, em design impresso, facilitadoras em passagens longas, guiando o movimento dos olhos pelas linhas do texto. No entanto, por serem geralmente pequenas e finas, as serifas geralmente não se apresentam tão bem em telas digitais (parecendo distorcidas e gerando ruído e quebra ao invés de clareza), então muitos designers priorizam o uso das fontes sem serifa para uso na web, especialmente em tamanhos pequenos.

 Cursivas (script): Abrange as fontes manuscritas ou caligráficas passando por vários estilos diferentes, de elegante, pessoal e exclusivo a divertido e descontraído.

Decorativas ou fantasia (display): Fontes destinadas a chamarem sua atenção. Elas geralmente são mais inusitadas do que práticas e devem ser usadas em pequenas doses, para efeito e propósito específicos.

Fonte ou família tipográfica?

Você já deve ter ouvido o texto que usa em projetos de design sendo chamado tanto de fonte quanto de família tipográfica (typeface) e se perguntado se os termos significam a mesma coisa. Técnica e historicamente (em termos de composição tipográfica), são coisas diferentes, mas hoje em dia, são expressões frequentemente usadas sem distinção. Se você está interessado em entender a diferença, algumas breves definições podem ajudar:

 Família tipográfica é o design; fonte é como esse design é apresentado.

Família tipográfica + estilo + tamanho = fonte

A distinção vem da tipografia enquanto tradicional processo de impressão com tipos móveis. O estilo ou design único do alfabeto que identificamos pelo nome, como Times New Roman e Bodoni, por exemplo, é considerado uma família tipográfica.

Quanto o conjunto de letras agrupadas por determinado tamanho ou peso (10 pt. bold, por exemplo), chama-se de fonte. Então, Bodoni 10 pt. bold e Bodoni 14 pt. italic seriam duas fontes diferentes, mas pertencentes à mesma família tipográfica.

Para a maioria das atuais aplicações do design gráfico, as expressões são permutáveis, fontes são as representações digitais de famílias tipográficas que podem ser escolhidas com um simples clique. Então, a menos que você esteja falando com um especialista e queira impressioná-lo com seu conhecimento em tipografia, não precisa se preocupar com as diferenças.

NOSSOS CLIENTES